Por que eu uso Vim?

Daniel Bastos, Sáb 19 março 2016, Editor

desenvolvimento, editor

Acredito que isso deva acontecer com várias pessoas.. Sabe quando tu bota o olho em uma tecnologia, framework, distribuição Linux... E aquilo te parece ser muito legal?!

Pois é, já tive algumas experiências assim. A primeira vez que tive contato com Linux eu achei aquilo muito legal, parecia ser meio difícil de usar e algumas coisas eram meio obscuras pro meu conhecimento, mas ao mesmo tempo tinha uma gana por aprender e usar aquilo.

Por muito tempo usei com dualboot, mas acabava que não parava 5min no Linux.. hehehe.. Naquela época eu programava com PHP e me toquei que eu só usava meu PC pra programar. Então foi quando tomei coragem em trocar de vez e passar o tempo que fosse necessário para aprender. Claro que iniciei com distros amigáveis, em uma semana cheguei a testar quase 4 distros diferentes, até que decidi usar o Ubuntu (uso até hoje, só que agora com a interface XFCE).

Assim como foi minha trajetória com o Linux, também foi com o Vim. Eu achava muito legal ver o pessoal usando e tentei muitas vezes, mas logo desistia. Depois de algum tempo usando o Sublime Text, conheci o Vim Bootstrap, e tentei mais uma vez... Desisti também!

Mas em cada tentativa eu aprendia um pouco mais, e a cada frustração, eu tinha mais vontade de usar o Vim. Foi quando meu amigo Henrique Leal começou a usar o Vim (ele é daqueles caras chatos, que não para de te encher o saco até tu testar o que ele te apresenta).

Com isso ele foi me incentivando a não desistir.. Nessa época eu recem tinha começado a trabalhava na TurboSys com o Michel Sabchuk, e ele também usava Vim. Aí eu pensei: "Foda-se, vou tentar usar essa bosta agora.. Por que pelo menos agora tem mais gente usando e pode me dar uma mão!".

Foi tenso no início.. Hoje uso mais tranquilamente, mas sei que uso o básico (porque quando fazíamos pair programming, eu e o Michel, eu me sentia um lixo no Vim haha).

Pra mim o aprendizado que eu tive em me forçar a aprender algo foi muito bom, e acredito que isso pode ser utilizado para qualquer outra tecnologia, linguagem, framework, etc. O que você precisa é ter brio em fazer aquilo pra provar pra ti mesmo que tu é capaz.

A minha meta agora é migrar para o Arch Linux, sempre simpatizei com essa distro e sempre levei uma surra durante as instalações e nas configurações inicias.

Mas quem sabe né?!? Se eu migrar eu conto aqui como foi a experiência ;)

Obs: Enquanto escrevia esse post, surgiu dois assuntos que gostaria de escrever futuramente.

  1. Como fiz pra migrar de programador PHP para programador Python.
  2. Como foi a minha seleção na TurboSys.. O que eu fiz pra conseguir essa vaga.